top of page

APJF promoveu debate sobre as "prioridades para o ecossistema farmacêutico e da saúde"


Decorreu na passada segunda-feira, dia 26 de fevereiro, o Debate Legislativas "Prioridades para o ecossistema farmacêutico e da saúde", promovido pela Associação Portuguesa de Jovens Farmacêuticos (APJF).


Esta iniciativa, que teve lugar no Auditório José Mariano Gago do Centro Ciência Viva, em Lisboa, contou com a presença de mais de uma centena de participantes e com representantes de sete partidos com assento parlamentar, que se reuniram para debater o futuro da saúde em Portugal, apresentando as suas propostas concretas para o setor.


Antecipando as eleições legislativas do próximo dia 10 de março, este evento, que contou com a intervenção inicial da Presidente da Agência Nacional para a Cultura Científica e Tecnológica - Ciência Viva, Rosalia Vargas, permitiu uma reflexão conjunta acerca do contributo dos farmacêuticos para o país, desde logo, através de uma breve apresentação do Livro Branco "A Visão dos Jovens Farmacêuticos para a Década", que ficou a cargo do presidente da APJF, Lucas Chambel.


Com a moderação de Paulo Silva, os contributos da Presidente da ADERMAP - Associação Dermatite Atópica Portugal, Joana Camilo, e do Professional Secretary da Federação Internacional Farmacêutica, Luís Lourenço, permitiram identificar as principais prioridades para o setor farmacêutico e da saúde, servindo de mote para a sessão de debate subsequente.


Afonso Moreira, do Bloco de Esquerda, Ana Paula Martins, do Partido Social Democrata/Aliança Democrática, Inês Pires do LIVRE, Joana Botas do Partido Comunista Português/Coligação Democrática Unitária, Maria Pia Bonneville da Iniciativa Liberal, Miguel Rodrigues, do Partido Socialista, e Pedro Frazão, do CHEGA, mostraram a sua visão para o setor da saúde, abordando, entre outros, temas como o acesso, a motivação dos profissionais de saúde e a valorização das carreiras do Serviço Nacional de Saúde (SNS), o alargamento dos serviços farmacêuticos e respetiva remuneração e a investigação clínica dentro do SNS.


Na sequência de todas as propostas que foram debatidas para o setor, e em linha com o presidente da APJF, o Bastonário da Ordem dos Farmacêuticos, Helder Mota Filipe, encerrou este evento, manifestando a total disponibilidade da profissão farmacêutica em participar ativamente na discussão e construção de novas soluções que beneficiem os cidadãos e o sistema de saúde.


Em comunicado, o presidente da APJF salientou que "os jovens farmacêuticos estão conscientes de que o caminho é desafiador", mas que não pretendem ficar fora da discussão, até porque, "foi com estes ideais que construímos este Livro Branco, cujas ações são um farol orientador para um futuro mais saudável e sustentável para a sociedade", refere.


Esta iniciativa foi, por isso, um testemunho do papel ativo e colaborativo que os jovens farmacêuticos pretendem desempenhar e da vontade que os mesmos manifestam em "possibilitar sinergias na formação destas políticas".

 

O EVENTO DA APJF NA IMPRENSA


10 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page